Dra. Iana Rodrigues - Alergista

Candidíase Vulvuvaginal Recorrente


Conceito | Sintomas | Fatores | Tratamento | Cuidados Básicos

Conceito:

Quatro ou mais episódios agudos de candidíase em 12 meses, todos com diagnóstico (exame clínico e microbiológico) e tratamento específico.

Sintomas:

São sintomas da candidíase vaginal:

  • Coceira intensa na vulva;
  • Corrimento sem cheiro, abundante, tipo leite coalhado;
  • Ardência;
  • Dor no ato sexual

A maioria das pacientes recebe o diagnóstico clínico, mas não apresenta o fungo na vagina. Apenas 30% das mulheres com esse sintomas realizam exame laboratoriais, que são positivo para Cândida sp.

Na ausência de evidências que demonstrem o fungo, o tratamento poderá ser inapropriado. Existem outras doenças que podem ter sintomas semelhantes.

Voltar ao topo da página

Fatores:

Fatores que podem predispor a candidíase:

  • Diabetes mellitus descompensado;
  • Uso do prolongado corticóide (oral, por exemplo);
  • Imunodeficiência – AIDS, Câncer, tratamento de quimioterapia, doenças crônicas e com algumas Imunodeficiências primárias;
  • Uso de Antibióticos de largo espectro;
  • Uso de anticoncepcional hormonal oral;
  • Gravidez;
  • Hábitos inadequados de higiene e vestuário que aumentam a temperatura e umidade local.

Voltar ao topo da página

Tratamento:

MEDICAMENTOS:

Cada episódio de candidíase deve ser tratado como um episódio isolado. Isto é, deve ser consultado o ginecologista e usado a medicação oral e/ou cremes vaginal específico.

No caso de Candidíase recorrente, o parceiro também deve ser tratado. Deverá ser considerado o tratamento imunoterápico (as vacinas).

VACINAS:

As vacinas atuais não são específicas para a candidíase, elas são imunomoduladores, é como se a vacina fosse um “fortificante” para as células de defesa, ajudando a combater o fungo.

Voltar ao topo da página

Cuidados Básicos:

  • Use saias e vestidos. Evite jeans apertado. Roupas soltas facilitem a transpiração;
  • Use calcinhas de algodão. Mulheres devem evitar calcinhas tipo “fio dental” o dia inteiro;
  • Não durma de calcinha. Pelo menos à noite os órgãos genitais devem ficar mais arejados;
  • Não use absorvente diário de calcinhas o mês inteiro! Eles aumentam os fungos. Calcinha foi feita para sujar e lavar;
  • Troque a calcinha diariamente. Lave com água e sabão e deixe secar ao sol. Roupas mal lavadas e que são secas em ambiente úmido, como banheiro, mantem o fungo no tecido;
  • Use apenas sabonetes neutros – desodorantes íntimos modificam o PH vaginal;
  • Não use duchas vaginais – as duchas eliminam lactobacilos, que ajudam a fazer o equilíbrio da flora vaginal;
  • Lave a região genital e ânus, principalmente após evacuação, o intestino é uma rica fonte de fungos;
  • Nunca compartilhe roupas íntimas e nem toalhas;
  • Limpe exaustivamente banheiras e bidês, caso contrário estes locais são povoados por microrganismo;
  • Alimentação saudável: carnes magras, verduras, frutas, legumes, etc. Alimentos ricos em açúcar e carboidratos fazem com que os fungos cresçam no intestino.

Voltar ao topo da página

V.2013

Atendimento: Av. das Américas, 500 - Bl 3 - Sala 308 - Shopping Downtown - RJ - Tel.: (21) 3242-5005 / 2494-5233